Kobe Beef

A Origem do “KOBE BEEF”

Em 1º de janeiro de 1868, o Porto de Kobe foi aberto pela primeira vez no Japão como porto de comércio internacional. Naquela época, os estrangeiros que apreciaram a carne bovina em Kobe, se surpreenderam com seu maravilhoso sabor e, desde então, é conhecido como “KOBE BEEF”, passando desta forma, a possui fama internacional, sendo considerado um dos maiores atrativos para visitar o Japão (além de conhecer um país com características peculiares, a oportunidade de poder experimentar o “KOBE BEEF”.

“KOBE BEEF” Provém do “Gado Tajima”

O sabor do “KOBE BEEF” depende da qualidade do Gado. Neste ponto, o melhor gado é o de “Tajima”. O “Gado Tajima” apresenta fibras musculares mais finas que facilitam a infiltração de gorduras entre elas. Assim, variedades premium de outras carnes, que não o “KOBE BEEF”, são do “Gado Tajima”

Por que o “KOBE BEEF” é tão Saboroso?

“KOBE BEEF” é obtido de gados especialmente selecionados, alimentação cuidadosamente balanceada e atenção aos mínimos detalhes.

No “KOBE BEEF” a gordura está infiltrada entre as fibras musculares formando desenhos perfeitos a que denominamos de “marmoreio”.

Quando são preparadas, as gorduras do “KOBE BEEF” derretem sobre as fibras musculares passando a suculência e uma ótima sensação ao paladar. Neste momento, o próprio sabor da carne se combina com a gordura que derrete por entre suas fibras, conferindo a maravilhosa característica do delicioso “KOBE BEEF”.

Sabor e Saúde: Principais características do “KOBE BEEF”

O sabor da carne tem uma relação direta com seu teor de gordura – é por este motivo que a picanha e o cupim de gados tradicionais de corte são tão apreciados no Brasil. O que é uma carne saborosa? Carne saborosa é a que mantém o equilíbrio entre “suculência e maciez” com “paladar e aroma”. A “suculência e maciez” são definidas pelo teor de gordura contida na carne e o “paladar e aroma” pela qualidade desta gordura.

No Japão, as carnes para consumo são classificadas em 5 categorias (Classes), e a relação destas classes com o teor de gordura e a qualidade são continuamente publicadas em dados científicos, comprovando a nível mundial o porquê da carne japonesa ser tão saborosa.

(1) Qualidade de gordura na carne – análise química da área do lombo da costela (teor em %)

Classificação
Teor água
Teor Gordura Teor Proteína
Outros
5 56,2% 25,3% 17,1% 0,4%
4 60,6% 19,3% 19,0% 0,1%
3 62,1% 17,9% 19,8% 0,2%
2 64,7% 13,4% 21,2% 0,9%

Obs.: Quanto maior o teor de gordura, mais macia fica a carne (77 cabeças analisadas).

(2) Composição de ácidos graxos na carne – composição de ácidos graxos da área do lombo da costela.

Classificação Japonesa Ácido Palmítico
(C 16:0)
Ácido Esteárico
(C 18:0)
Ácido Esteárico
(C 18:0)
Ácido Oléico
(C 18:1)
Ácido Linoléico
(C 18:2)
Teor Ácidos
Graxos
Insaturados
5 25,4 5,5 10,0 50,8 2,7 61,1
4 26,0 5,4 10,3 50,1 2,7 60,1
3 26,6 5,1 11,1 49,7 2,3 58,8
2 27,5 5,3 10,5 49,9 1,8 58,0
média 26,4 5,3 10,5 49,9 2,4 59,0

Quanto melhor a qualidade da carne, encontram-se mais ácidos graxos insaturados no olho do lombo (gordura %)Total de ácidos graxos insaturados = C14; + 1 C16; 1 + C18; 1 + C18; 2.

O “sabor e aroma” da carne são definidos por ácidos graxos como: o ácido palmitoléico, ácido oléico e o ácido linoléico, que tem ponto de fusão mais baixo que os ácidos graxos saturados, envolvendo a carne delicadamente e deixando uma sensação agradável ao paladar e sabor delicioso.Este fator é reforçado pelo fato de que, quanto mais nobre a carne, maior é o teor de ácidos graxos insaturados.

Estes ácidos graxos insaturados são importantíssimos, porque o ácido linoléico é um ácido graxo essencial ao organismo, controlando colesteróis LDL e HDL – recentes estudos indicam que o ácido linoléico tem a propriedade de reduzir teores de colesteróis.

Com base nestes estudos científicos e sucessivas pesquisas pelos criadores japoneses, a Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Wagyu está aperfeiçoando esta raça para adequação perfeita às condições brasileiras, com o objetivo de fornecer este maravilhoso e saudável “KOBE BEEF” com seu riquíssimo sabor.

“KOBE BEEF”: Uma carne suculenta, de excelente qualidade

A classificação de carnes atualmente é efetuada comparando-se a parte do lombo da área da costela do animal logo após o abate.

A Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Wagyu analisa a região da costela em animais vivos, utilizando um sofisticado aparelho de ultra-sonografia.
Desta forma, a seleção é efetuada previamente permitindo oferecer aos clientes uma carne suculenta, saborosa, de primeira qualidade. Esta metodologia de altíssima tecnologia é inédita no Brasil e temos grande prazer em apresenta-la aos nossos clientes, juntamente com o “KOBE BEEF” de incomparável sabor.

Detalhe do aparelho de ultra-sonografia e da imagem gerada utilizadas para qualificação da carne.

Os comentários estão encerrados.